As belezas da Costa Verde

A Costa Verde exibe um dos cenários mais bonitos e exóticos da costa brasileira, onde a Serra do Mar encontra o Atlântico e ambos se confundem de forma única.

A Costa Verde (RJ) é formada pelos seguintes municípios:

  1. Angra dos Reis
  2. Paraty
  3. Mangaratiba
  4. Itaguaí

A região da Costa Verde (RJ) se destacou na colonização do Brasil, pela presença constante de navios franceses e ingleses.

Por abrigar uma das primeiras terras colonizadas em território nacional, é possível encontrar por lá estradas e caminhos esquecidos, que de forma pioneira avançavam em direção ao interior do país.

A presença de piratas, aventureiros, nobres e plebeus desenhou o patrimônio material e imaterial dos habitantes da região.

Sua paisagem, com mais de duas mil praias e uma infinidade de ilhas, é protegida pela Restinga de Marambaia e por imensos paredões recobertos pela Mata Atlântica.

As águas, em várias tonalidades de verde, são ideais para a prática de qualquer modalidade de esporte aquático. Possui grande número de praias semidesertas; algumas, com nuances de cores únicas, só podem ser acessadas pelo mar.

A Baía da Ilha Grande é considerada a melhor e mais bela parte do litoral brasileiro para se navegar. Na região, podemos encontrar desde resorts de padrão internacional e paraísos ecológicos a cidades históricas como a de Paraty, um dos destinos turísticos mais visitados do Brasil.

Angra dos Reis é um paraíso com 365 ilhas e mais de 2000 praias, sendo parada obrigatória para amantes de belezas naturais.

O nome da cidade é de origem portuguesa, sendo que Angra significa baía, e Reis por ter sido criada no dia de Reis, em 06 de Janeiro de 1.502.

A prática de esportes náuticos e sofisticação são comuns neste município. Nos hotéis, resorts e pousadas o turista encontra conforto e uma infinidade de roteiros turísticos, longos passeios de barco, trilhas naturais em meio a rios e cachoeiras, além de opções de esportes radicais como rapel, mountain bike e rafting.

Para os amantes da pesca, a cidade reserva alternativas para todas as formas do esporte: submarina, de superfície ou amadora.

O Município possui uma das ilhas mais famosas do país, nela nós encontramos serra, rios, cachoeiras e claro praias. Praias de todos os tipos e gostos, um paraíso encantado.

A Ilha Grande apresenta uma das mais belas regiões costeiras, um santuário ecológico. Localizada a 155 km da cidade do Rio de Janeiro, possui trilhas, cachoeiras e enseadas que pertencem ao Parque Estadual da Ilha Grande e Parque Estadual Marinho do Aventureiro, com fauna e flora exuberantes, formando cenário ideal para a prática de trekking e mergulho, entre outras atividades ao ar livre.

O pico do papagaio é um dos pontos mais altos da ilha e uma atração a parte.
Podemos ainda encontrar em Angra dos Reis o convento São Bernardino de Sena, igreja da Piedade, igreja de Nossa Senhora dos Remédios, mercado Municipal, praia do arrecife, praia do secreto fica (Ilha de Gipóia), praia da figueira.

Para conhecer o verdadeiro significado da palavra beleza, você deve conhecer Paraty, a perfeita combinação entre o azul marítimo e o verde da Mata Atlântica.

Em meados da década de 60, Paraty foi declarada Patrimônio Histórico Nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), devido à sua importância no ciclo do ouro, pois chegou a ser uma das cidades mais prósperas da Colônia e do início do Império.

As paisagens naturais do Parque Nacional da Serra da Bocaina abrigam parte do trecho fluminense do Caminho Velho do Ouro, por onde os tropeiros transportavam o ouro das Minas Gerais com destino à Corte, formando um dos roteiros turísticos da cidade.

Na década de 90 instalaram-se na cidade as operadoras de mergulho, que ensinam o esporte e fazem expedições de exploração marítima.

As praias ao longo da estrada começaram a ser frequentadas e as de Trindade transformaram-se no lugar preferido da juventude e dos aventureiros.

Também é possível conhecer por lá muitas riquezas culturais tais como o complexo arquitetônico que reúne igrejas dos séculos XVIII e XIX, em estilos neoclássico e barroco, além de casarões seculares que nos meses de inverno acolhem variados festivais e festas, entre elas salientamos a FLIP – Festa Literária de Paraty, de renome internacional.

Não deixe de conhecer as lojinhas da Rua da Lapa e da Rua do Comércio, faça muitos cliques das portas e janelas coloridas, são uma atração à parte.

Em Paraty, encontram-se mais de 120 praias e ilhas em tons de esmeralda que compõem a baía de Paraty e arredores, lugares paradisíacos que no roteiro de um turista que se preze não pode faltar!
Os restaurantes a noite e as opções de compras em Paraty são bastantes completos. Beber aquele drink ao ar livre sentado nas mesinhas aconchegantes dos barzinhos de Paraty fazem toda a diferença, a paquera rola e a alegria baila no ar.

Quem busca por festivais e atividades culturais em Paraty não irá se decepcionar. A cidade é repleta de boas livrarias, lojas de arte, antiquários e alguns espaços destinados à produção cultural. Apesar de Paraty respirar cultura durante todo o ano, alguns eventos atraem a atenção dos visitantes. É o caso da festa literária internacional de Paraty (FLIP) ou mesmo dos grandes eventos fotográficos que a cidade costuma apresentar (sempre em setembro).

As cachoeiras do Tobogã, do poço do Tarzan, da Pedra Branca e a do Poço da Usina são lugares que não podem ficar de fora, bem como o forte defensor Perpétuo.

Enfim… a Amada Paraty é um município com uma diversidade abundante e que um final de semana é muito pouco para conhecer todos os atrativos.

Se programe, faça suas reservas nas pousadas aconchegantes de Paraty, a hospitalidade local fará com que você sempre queira voltar.

A beleza natural e a rica história constituem o acervo turístico cultural de Mangaratiba.

Por sua localização privilegiada, e por suas belezas naturais, O município de Mangaratiba é o portão de entrada da região da Costa Verde do Estado do Rio de Janeiro e tem forte apelo turístico, contemplando praias, ilhas, cachoeiras, trilhas, entre outros atrativos naturais.

A cidade oferece praia para todos os gostos. Para quem quer agito, Muriqui, urbanizada e com quiosques é o point.

A ilha de Jaguanum é a principal atração local. Várias cascatas e cachoeiras são encontradas na região e são acessíveis por trilhas. A mais famosa é a da Bengala, com piscina natural cercada por vegetação de mata Atlântica, um verdadeiro paraíso escondido.

Apesar de sua história de mais de 400 anos, o atual município, só foi elevado à categoria de Vila em 1831. Cabe ressaltar que a consolidação do turismo neste município deve-se principalmente a empreendimentos com bandeiras internacionais na área de hospedagem, proporcionando aos visitantes, experiências sofisticadas com cenários paradisíacos.

É do centro de Mangaratiba que saem as barcas para a paradisíaca Ilha Grande.
Esse, sem sombras de dúvidas é mais um belo município do estado do Rio de Janeiro, não perca tempo e se programe para conhecê-lo.

Sua rica região costeira é formada por belas ilhas e recantos incríveis, de grande beleza natural. Além dos atrativos da costa marítima, Itaguaí possui serras com cachoeiras e trilhas onde é possível conhecer e se encantar com a variada fauna e flora da Mata Atlântica.

Portal de entrada para a Costa Verde, Itaguaí desponta atualmente como uma das mais promissoras cidades do Rio de Janeiro. Com mais de cento e dez mil habitantes, esta bela cidade está a pouco mais de uma hora do centro da capital fluminense. E claro, esconde raras belezas naturais, algumas delas pouquíssimo exploradas.

Coroa Grande é o ponto de partida para as Ilhas Tropicais, são praias muito acolhedoras que mostram todo o potencial para o Turismo de Sol e Mar. Em Coroa Grande, o Réveillon é disputadíssimo devido a sua queima de fogos.

Já a bucólica Ilha da Madeira, pescadores e outros amantes dos esportes náuticos, a visitam para desfrutar da oportunidade de se fazerem ao mar, principalmente rumo a Ilha de Itacuruçá e sua porção de Itaguaí e algumas praias como Sapinhoera, Bica, Leste, Boi e Quatiquara.

A Ilha de Itacuruçá ocupa uma parte do arquipélago da Baía de Sepetiba com águas verde-esmeralda em meio a áreas de preservação permanente. Possui hotéis, pousadas e alguns restaurantes. A Ilha é dividida entre o município de Mangaratiba e Itaguaí. Possui mais de 10 milhões de metros quadrados e 20 quilômetros de perímetro. Outra ilha bastante visitada é a Ilha dos Martins, local importante para paradas com banho de mar e visita às Praias do Funil, Leste e do Sul.

Precisamente em Coroa Grande, junto a serra de mesmo nome, estão localizadas duas belas cachoeiras, Itimirim e Itinguçú. São muito visitadas, principalmente por amantes da aventura, fazendo rapel ou simplesmente banhando-se nos vários poções. Temos ainda a cachoeira do Bicão e seus restaurantes, com acesso pela rodovia Rio-Santos.

O bairro de raiz da Serra, importante cenário agrícola, já encontrou o apogeu da sua produção com monoculturas como o quiabo, aipim, banana, goiaba e coco. O Bairro está cravado entre dois belos morros, um deles dentro do Parque Estadual Cunhambebe. Este fato é interessante, pois de lá se pode ir caminhando para Muriqui, numa belíssima caminhada ecológica, num trekking de 7 horas, chegando às cachoeiras de lá ou até mesmo, pegar outra estada para a Fazenda Rubião e ir para a Serra do Piloto em Mangaratiba.

Rica em corredeiras de vários níveis, ideal apenas para o banho, o Vale do Mazomba está se organizando para vários eventos voltados para o Turismo Rural onde todos os sabores das culinárias regionais possam ser apreciados. De lá, é possível chegar à Rota da Independência pela linda Estrada das Palmeiras, passando por vários sítios, um deles por acaso realiza todos os anos a famosa Festa do Aipim, evento regional anual. A estrada das Palmeiras fica localizada entre o Vale do Mazomba e Raiz da Serra, sendo ideal para prática de Motocross, passeios de Jipe e caminhadas ecológicas.

Localizada no interior da cidade, o Bairro conhecido como Raiz da Serra abriga uma famosa estrada com calçamento em estilo pé-de-moleque, construída pelos padres jesuítas a mais de 300 anos. São 8 quilômetros de estrada sinuosa, subindo a Serra da Calçada, fazendo limite com o município de Piraí. Por lá passou Dom Pedro I rumo a São Paulo para o famoso Grito da Independência em agosto de 1822. No seu retorno, deixou uma histórica e bela inscrição em letras de bronze numa rocha conhecida como Pedra de Santo Antônio. Outro belo ponto para caminhadas ecológicas é o Mirante do Imperador, com seus 628 metros de Altitude, ideal para o rapel e uma vista de tirar o fôlego.

Nesta proximidade você também encontra um centro hípico conhecido como Clube do Cavalo que também possui um local de pouso de alguns esportistas do voo livre.

Conheça Itaguaí, fica a dica!

ABH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *