Nova Friburgo é a maior fabricante de moda íntima brasileira, com 25% da produção nacional

Com 114 milhões de peças ao ano, representando 25% da produção nacional, o polo de confecção de Nova Friburgo, na região Serrana do Rio é, atualmente, o maior produtor de moda íntima do Brasil, de acordo com Associação Brasileira de Indústria Têxtil (Abit).

Lá fica concentrado um dos arranjos produtivos locais que mais emprega do estado, com cerca de 20 mil postos de trabalho diretos e indiretos nos municípios de Friburgo, Bom Jardim, Macuco, Duas Barras, Cordeiro e Cantagalo. A produção, de alta qualidade, tem expertise e, atualmente, já consegue atender diversos nichos do mercado. Por ser um APL já maduro, nosso trabalho consiste em fortalecer cada vez mais a cadeia produtiva, desde os fornecedores de matéria-prima até a rede hoteleira, que também acaba se beneficiando com o turismo de negócios na região.

– Um dos nossos desafios é, a partir de agora, fomentar juntos aos empresários do APL de confecção a cultura de exportação. Sabemos que existem casos pontuais, mas queremos apresentar o Plano Nacional de Cultura Exportadora no qual o Estado faz parte, que tem à disposição todo assessoramento para que as empresas tenham acesso aos atores que atuam com o negócio –,  explicou o superintendente de Indústria e Agronegócio, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais, Felipe Cáceres, que ainda comentou sobre os planos para os próximos meses:

Diretor comercial de uma das confecções de Friburgo, Rodrigo Bitencourt, destaca que a principal vantagem do ALP é a abertura de oportunidades a partir do círculo entre as empresas do segmento.

– O APL permite a troca de informações e de experiências entre os empresários, os quais não vemos como concorrentes e sim, nossos parceiros. Todos querem o mesmo objetivo: fortalecer cada vez mais o polo nacional de moda íntima em que Friburgo e região se tornaram. Além disso, temos acesso a cursos técnicos para que a mão-de-obra seja constantemente capacitada. E, ainda, é possível fazermos ações coordenadas junto o Sindicato como, por exemplo, frequentar feiras, congressos e seminários de moda – disse Rodrigo, que atua há 17 anos como representante da “Very Chic”.

Maior feira do setor

Entre os dias 10 e 14 deste julho, Friburgo recebe o maior evento do setor de confecção do Brasil, a Fevest – Feira de Moda Íntima, Praia, Fitness e Matéria-prima: a 29ª edição do evento reúne 60 segmentos, com a geração de cerca de três mil empregos. A expectativa de público para este ano é de 15 mil pessoas, superando os 14 mil que visitaram a feira em 2018. Ao todo, são esperados representantes de 23 estado, além de países como China, Estados Unidos, Peru, Bélgica, Suíça e Argentina.

– A Fevest é considerada o principal evento de negócios do setor, voltada para compradores de todo o Brasil e do exterior. A cada edição, ela contribui ainda mais para que Nova Friburgo seja reconhecida como a Capital Brasileira de Moda Íntima, o maior polo fabricante de lingerie do país. Além de fomentar a economia da região, gerar relacionamentos e abrir portas para novos negócios, é possível gerar fluxo de compradores e novos clientes que chegam de diversas regiões. A estimativa de crescimento de negócios para este ano é de 3 a 6% a mais do que no ano passado, considerando a partir desta edição da feira até à próxima, em 2020 – detalhou Marcelo Porto, presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo e Região/RJ – Sindvest.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *