Paraty e Ilha Grande conquistam título de Patrimônio Mundial da Unesco

Boas notícia para o litoral da Costa Verde. Paraty e Ilha Grande (Angra dos Reis), foram reconhecidas nesta sexta-feira, 5, como Patrimônio Mundial. Essa é a primeira vez que o Brasil recebe o título de Patrimônio Misto Cultural e Natural da Humanidade, da Unesco. 

A decisão foi anunciada nesta manhã, pelo Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), durante reunião em Baku, no Azerbaijão. Foram avaliados 28 pedidos de sítios mundiais, sendo dois mistos, e os de Paraty e Ilha Grande foram dois dos reconhecidos.

O secretário de Turismo de Paraty, Edson Moura, anunciou e falou ao Rota Rio. “Estamos muito felizes com esse título.  Isso contribui para que o município receba turistas de qualidade, com consciência. Pois, além do Centro histórico, temos toda biodiversidade,  as comunidades tradicionais, os quilombolas,  caiçaras,  etc. Ganhamos o título, porque apontamos no dossiê toda essa diversidade”, disse o secretário.

Com um importante acervo arquitetônico e ricas paisagens com belezas naturais, a cidade concorre pela terceira vez. O centro histórico se cerca de quatro áreas de conservação ambiental que abrangem o Parque Nacional da Serra da Bocaina, o Parque Estadual da Ilha Grande, a Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul e a Área de Proteção Ambiental de Cairuçu, um território de quase 149 mil hectares.

Na Baía da Ilha Grande, em Angra dos Reis, são mais de 187 ilhas em um território preservado. A área abriga um sistema de comunidades tradicionais que misturam cultura e biodiversidade.

Segundo a Unesco, os Sítios do Patrimônio Mundial Natural protegem áreas consideradas excepcionais do ponto de vista da diversidade biológica e da paisagem. A proteção ao ambiente, o respeito à diversidade cultural e às populações tradicionais são objeto de atenção especial. Os Sítios geram, além de benefícios à natureza, uma importante fonte de renda oriunda do desenvolvimento do ecoturismo.

Os investimentos que vem com o título são importantes para o crescimento da região. Em 2009, Paraty já tinha se candidatado. A cidade histórica chegou até a última etapa da avaliação, mas foi rejeitada. Na época, a orientação foi reunir mais elementos. Em maio deste ano, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Iphan, recebeu um parecer técnico favorável ao reconhecimento dos municípios como patrimônio.

A candidatura envolveu o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), em conjunto com o Ministério da Cultura, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural – Inepac, além das prefeituras de Angra dos Reis e de Paraty.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *